Totem American Bulldogs

Canil em Alvenaria Simples - Com e Sem Solário PDF Imprimir E-mail

Uma dúvida típica de todos novos proprietários, bem como de aspirantes a criadores e criadores "artesanais", refere-se à construção do canil, que deve ser sempre adequado ao espaço disponível, quantidade de cães, orçamento disponível, perspectiva de crescimento do canil, etc. Para ajudar escrevemos o artigo abaixo que versa sobre duas opções de contrução de canil. Note que não somos expert no assunto, e que os canis mostrados abaixo foram desenhados baseados principalmente na nossa própria experiência na construção de canis, visitas a vários criadores na região do Vale do Paraiba, e ainda em extensa pesquisa realizada sobre o assunto na internet e livros sobre o assunto.

Os modelos são propostos para situações onde você não é um criador, mas ainda assim deseja dar ao seu cão o melhor possível em termos de abrigo. Se você deseja construir um canil do tipo profissional (grande número de cães, criação intensiva, etc), você poderá verificar o famoso artigo de Bruno Tausz, ou mesmo se basear no desenho proposto abaixo, e multiplicar pelo número de baias que deseja.

Aqui algumas dicas essenciais, e aplicáveis a qualquer caso: 

Gaste tempo planejando o seu projeto antes de partir para a execução (construção) do mesmo. Depois de feito é SEMPRE muito mais caro executar modificações e correções. Qual a localização do canil no terreno? Quais os detalhes a serem observados? Você está deixando espaço para expansões futuras? etc.

Se possível visite outros canis já construídos na sua região. Contate o Kennel club local, pegue informações de canis bem construídos na sua cidade e contate o proprietário sugerindo uma visita sua. Se conseguir, visite pelo menos 3 canis antes de fazer o projeto do seu. Tire dúvidas. Fique de olho nos pequenos detalhes. Pergunte sobre o que funciona bem e o que não funciona bem! Um bom criador fará questão e terá orgulho de lhe mostrar todos os detalhes do seu canil.

Tenha TODOS os detalhes do seu canil num desenho, antes de contratar o pedreiro. O ideal é que tenha um projeto em desenho técnico, que pode ser feito até com PowerPoint, VISIO, etc.

SOL, MUITO SOL... DA MANHÃ!!! Tome cuidado especial com a disposição do canil com relação ao sol. O ideal é que o mesmo seja disposto de forma tal a tomar o máximo possível de sol da manhã, e evitar sol da tarde.

Converse com o pedreiro e explique detalhadamente o projeto. Considere o fato de que a maioria dos pedreiros não está habituado a construir canis. Tenha paciência, acompanhe de perto a execução da obra, e esteja pronto a intervir na obra, de forma que os aspectos principais do projeto não sejam negligenciados (desnível do piso do canil, acabamento do piso, posição da rede elétrica, etc).

Dois modelos são propostos

Dois modelos estão sendo propostos, dependendo da sua disponibilidade de espaço e recursos $:

Modelo A, composto de canil com área de solário grande. Nesse caso o cão será deixado no canil boa parte do dia. O solário nesse caso teria comprimento de 5 metros (ou mais, se possível), o que permite que o cão caminhe ou mesmo simule uma pequena corrida.

Modelo B, composto de canil SEM solário. Esse caso é indicado se você tem um quintal muito pequeno. O canil nesse caso deverá ser entendido como um local de abrigo temporário do seu cão (e não permanente). Essa solução deverá ser obrigatoriamente combinada com uma boa caminhada diária, e/ou com a liberação do seu cão em um espaço maior (quintal da sua casa, por exemplo), por uma boa parte do dia.

Modelo A:Canil com área de solário

Esse modelo é para situações onde você possua espaço suficiente (quintal grande, fazenda, etc), e gostaria de deixar o seu cão em um local onde ele possa ficar a maior parte do tempo, inclusive durante a noite. Por isso temos a área designada por "solário", com tamanho suficiente para que o cão possa dar uma pequena corrida. Nota importante: Caso essa seja a sua escolha, não se esqueça que o cão para crescer confiante e alegre precisa de contato constante com a sua família. Dessa forma você deverá soltar o seu cão quintal e/ou caminhar com ele pelo menos 2 ou 3 vezes por semana. Jamais deixe o cão confinado no canil em tempo integral. Ele é seu amigo e precisa da sua companhia.





Detalhe da paredinha divisória, com 1,60 mt, que cria o espaço do "quarto" dos cães. Note ainda o estrado na parte de dentro quarto, construído em madeira-de-lei (no caso Ipê)

O modelo de canil proposto é composto então por uma área coberta (2x2 mts), onde fica o "quarto" do animal (1,2x1,2 mts), e ainda a área do solário (2x5 mts), onde o cão possa caminhar e tomar banhos de sol. A área necessária (Quarto) para abrigar um cão ou até um casal de American Bulldogs é de 120x120 (no máximo 140x140, mas não mais que isso). Como já vimos, os cães não necessitam de muito espaço para se abrigar. Quanto menor, isto é, mais próximo do tamanho dele, tanto mais feliz ele será.

(Nota: Essas dimensões poderão ser adaptadas para adequar o espaço disponível no seu terreno. Existem casos interessantes onde o solário possui até 10 mts de comprimento).

No modelo proposto o quarto é "fechado" por uma parede divisória, formando um "L"; (ver detalhe na foto). O objetivo é criar uma área realmente protegida de ventos, chuvas frontais, e do frio. A parede divisória (paredinha) deverá ter altura mínima de 160 cm.

Dentro do quarto haverá um estrado de madeira, preferencialmente de madeira-de-lei (peroba, ipê, maçaranduba, etc), com pelo menos 10 cm de altura, e espaçamento máximo entre as "ripas" de 1cm (para evitar que o cão prenda o pé). Esse estrado deverá ser limpo diariamente, com especial atenção nos "cantinhos".

O sistema hidráulico é semelhante ao de uma casa, conduzindo água potável ao canil com a tubulação embutida. Uma diferença fundamental é que toda a instalação deve passar a uma altura mínima de 1 metro. Dentro do canil deve ser instalada uma torneira dupla (com duas saídas). É aconselhável também a instalação de um bebedouro automático conhecido por lambe-lambe (ou opcionalmente do tipo usado em suinocultura), de forma que o cão terá sempre água fresca (Veja foto). Se esse for o caso, a torneira deverá então ser instalada a 55 cm do chão. De qualquer jeito, automáticos ou não, o bebedouro deverá estar fixado num dos cantos, em área coberta, mas do lado de fora para que, se ele brincar com água, não molhe seu ambiente de dormir e, se ele tentar destruir, o bebedouro estará fixo.

Nota: As torneiras lambe-lambe suprimento de água são muito práticas e econômicas para os criadores mas, em cidades quentes com o Rio de Janeiro e nordeste, esse tipo de recurso não é recomendado pois o calor é tão forte que as paredes e a tubulação ficam tão quentes que o cão vai beber água quente o tempo todo. Nesse caso continua válida a necessidade de vasilha de água sendo abastecida várias vezes ao dia (Contribuição do Eduardo Baduca, RJ)

O sistema sanitário deverá ser o mais prático possível, para facilitar a limpeza. Como mostrado na planta baixa do desenho acima, a área do solário deverá ter um caimento mínimo de 5%, conduzindo toda a água, urina, etc para o ralo "safonado".

Esse ralo deverá ser ligado ao sistema de esgoto da casa, ou a uma fossa séptica. (Veja exemplo no detalhe ao lado. Note que todo líquido escorre facilmente em direção ao ralo graças ao caimento do chão do solário).

Iluminação e pontos-de-força. O ideal é que haja uma lâmpada voltada para dentro do quarto, e uma voltada para a área do solário. Uma opção é a disposição de uma única lâmpada, imediatamente acima da parede divisória do quarto para o solário. Esse iluminação é SUPER importante, principalmente em casos de emergências noturnas. O interruptor das lâmpadas devem necessariamente ficarem na parte de fora do canil (ou numa altura que o cão não consiga alcançar). Outra providência necessária é a instalação de pelo menos uma tomada de força. Isso lhe permitirá o uso de lavadores de alta-pressão (lava-jatos) tão úteis na limpeza do canil. Observe novamente que todo o sistema elétrico deve passar em local a pelo menos 1 metro do chão.

Paredes e construção: As paredes deverão ser construídas preferencialmente com tijolos conhecidos por "tijolo baiano". Esse tipo de tijolo fornece um ótimo conforto térmico, e é bem melhor que os tijolos de cimento. A parede deverá ser "chapiscada" e revestida com massa de cimento-e-areia ou mesmo azulejos, evitando assim que os cães, ao arranharem as paredes, façam buracos.

O telhado deve ser com telhas de barro (francesa, italiana ou portuguesa), novamente para melhor conforto térmico. O teto não precisa de laje. Opcionalmente você poderá usar uma subcobertura com manta de alumínio (vendida em lojas de material de construção) entre o telhado e os "caibros" da estrutura do telhado. O uso da manta irá impedir que tanto o calor do sol quanto o frio e a chuva atinjam o ambiente no qual o cão está acomodado, evitando ainda goteiras que possam surgir no telhado.

*** EVITE a todo custo o uso de telhas de amianto, zinco ou similar. Esse tipo de telha não protege (por mais que o fabricante garanta que sim) o cão do calor.

O chão: No chão estão os maiores segredos, e que devem ser entendidos e detalhadamente explicados ao seu pedreiro. Primeiro o chão (na área do solário) deverá ser construído com uma inclinação de 5% na direção do ralo. Essa inclinação é bem grande (a maioria dos pedreiros provavelmente vão achar demais), mas é ABSOLUTAMENTE necessária para o correto escoamento da água e da urina do animal. Para o canil mostrado no projeto acima, com solário de 5 metros de comprimento, a parte mais alta do canil (dentro do quarto) deverá estar a 25 cm da parte mais baixa (no ralo).

acabamento do chão é talvez o  detalhe mais importante. De um lado não devemos usar azulejos ou qualquer outro tipo de piso liso. Lembre-se que quando molhados ficam escorregadios, o que pode causar ENORMES problemas para a estrutura o seu cão, propiciando aparecimento de "jarretes-de-vaca" e até mesmo displasia. Por outro lado não devemos também escolher um chão muito áspero, já que esse, com o tempo, irá desgastar e machucar as patas e cotovelos do seu cão. O ideal é que o chão seja feito com uma massa de cimento e areia FINA, com acabamento "desempenado" (como é conhecido pelos pedreiros). Note que NÃO se trata de "cimento queimado", mas somente do acabamento normalmente usado em calçadas, mas com areia fina.

Outro detalhe valioso no que refere ao chão é o "abaulamento" do encontro (junção) do chão com a parede (ver foto e detalhe abaixo). Com isso você "mata" o local favorito para procriação de germes, pulgas, bactérias, etc, facilitando muito a limpeza do canil. Tal abaulamento deverá ser feito com a mesma massa usada no chão, e ter cerca de 3x3 cm.

O detalhe do "abaulamento" dos cantos das paredes é dos mais importantes, e ajuda a evitar acúmulo de detritos e o aparecimento de locais de procriação de bactérias, vermes, etc.

Finalmente, e ainda em nome da facilidade de limpeza, sugerimos que o chão do canil seja pintado usando tintas próprias para chão (do tipo NOVACOR Piso). No nosso canil (fotos mostradas nessa página) foi usado NOVACOR vermelha, tanto no chão como em uma faixa de 60 cm da parede. Essa tinta é bem resistente ao pisoteio dos cães, e ainda à lavagem com equipamento de limpeza pesada (lava-jato + cloro).

Você poderá usar grades laterais (feitas de ferro trefilado, com espaçamento de 5 cm) ou alambrado, com malha de 1 1/2 polegadas e fio grosso.

Extras - Armazém / berçário / sala de tratamento

Se você estiver disposto, e o seu orçamento assim o permitir, é interessante, apesar de não necessário caso você tenha apenas um ou dois cães, a construção de um quarto extra, colado ou próximo ao canil, que será usado como dispensa (guardar ração, remédios, equipamentos de treinamento, troféus, etc), berçário (caso você venha a cruzar o seu cão), e ainda como sala de tratamento, banho, cuidados veterinários rápidos, etc.

O tamanho ideal mínimo seria de 2x3 metros. No interior teríamos uma prateleira para guardar ração e etc e uma banheira. Note da foto abaixo á esquerda que o saco de ração é acondicionado na própria embalagem dentro de um "cesto" de material plástico, tampado o tempo todo. Esse tipo de cesto pode ser encontrado na cooperativa agro-pecuária da sua cidade.

Outro item importante é uma banheira/tanque para dar banho no cão (foto abaixo à direita). Idealmente a água da banheira seria quente (aquecedor elétrico), já que os Bulldogs não são exatamente chegados a banhos frios!

Modelo B : 

O modelo abaixo subtende que o cão ficará no canil apenas uma parte do dia, ficando o resto do dia (ou durante a noite) solto no quintal. O espaço do canil abaixo é restrito E LONGE DE SER SUFICIENTE para deixar um American Bulldog em tempo integral.

Dicas específicas para esse modelo:

Todas as dicas mostradas para o modelo anterior (projeto anterior), exceto aquelas relacionas à área do solário e cercado, se aplicam igualmente a esse modelo. Outra diferença é que nesse caso não termos a divisão da área chamada "quarto" do projeto anterior. Ao contrário, termos apenas uma casinha de cachorro (ou mesmo uma caixa de transporte de cachorro) dentro do canil. Para detalhes sobre escolha ou construção de uma casinha de cachorros veja esse artigo.

Outro aspecto importantíssimo nesse conceito é a disposição do canil no seu quintal, que deverá ser tal que o canil receba algum sol na parte da manhã, mas fique TOTALMENTE livre do sol na parte da tarde.

_____________________
Autor do artigo: Claudiano Sales de Araujo Júnior
Canil Totem American Bulldogs: http://buldogue.com

Principal referência utilizada:

# Kennels & Kennels - A guide for professionals and hobbyists. Joel M. McMains, Howel Book House (ISBN 1-58245-151-6).

 
 
Joomla 1.5 Templates by Joomlashack